Arquivos de tags: twitter

A popularidade do passarinho azul

Simples e rápido, a mídia social Twitter tem milhões de usuários em todo o mundo, tendo um potencial de disseminação de conteúdo realmente impressionante. Justamente por isso, é imprescindível que empresas e marcas estejam inseridas neste mundo dos 140 caracteres.

O Twitter dá certo por variados fatores, e um deles é pela objetividade que a limitação dos caracteres impõe. De acordo com o publicitário Roberto Tostes, outro ponto primordial é o fato de os usuários adorarem interagir. E quase sempre isso ocorre quando alguma coisa não ocorre como o esperado. E aí que mora o perigo.

Quem acompanha esta mídia social já deve ter observado alguma reclamação de algum usuário quanto algum serviço. E muitas vezes essas reclamações tomam proporções gigantescas, engajando usuários que não estão necessariamente envolvidos no problema. É o poder do uso da hashtag. Portanto, #estejadeolho no que está rolando na web. A melhor alternativa para não ter problemas do tipo é responder o mais rápido possível reclamações ou solicitações de ajuda. Ou seja, as marcas precisam estar sendo diariamente monitoradas.

Para se tornar popular nesta mídia social, entretanto, a marca ou empresa precisa ter seu perfil atualizado. Ou seja, é preciso existir uma interação e produção de conteúdo interessante. Somente assim o público irá se interessar e acompanhar a marca.

Simples, mas complexo, não é mesmo? A sorte, entretanto, é que existem agências que fazem todo este serviço para as empresas.

E a Valliosa Comunicação é uma delas. Inclusive, estamos inseridos na rede social do conhecido passarinho azul. Por lá, você pode conferir tudo que acontece no mundo da moda, além de ficar por dentro das novidades dos nossos clientes. Siga: @valliosa_jej

Coisas que acontecem na Internet em um minuto

Em um minuto você pode ler um e-mail, responder algum tweet ou curtir uma atualização do Facebook. Mas você consegue imaginar tudo o que acontece na Internet em 60 segundinhos?

Segundo informações divulgadas pela Intel, 204 milhões de e-mails são enviados em um minuto, 47 mil downloads de aplicativos são feitos, mais de 320 novas contas no Twitter são criadas e 100 mil novos tweets são publicados. Sim! Em um minuto!

Confira outras coisas que ocorrem em um minuto da web:

  • 20 pessoas se tornam novas vítimas de roubo de identidade
  • 1300 pessoas se tornam novos usuários de aparelhos mobile
  • 135 pessoas são infectadas por botnets
  • 6 novos artigos são publicados no Wikipédia
  • A Amazon ganha 83 mil dólares em vendas
  • Mais de 100 pessoas criam contas no LinkedIn
  • 61.141 horas de música são ouvidas no Pandora
  • 20 milhões de fotos são vistas e 3000 fotos são postadas no Flickr
  • 277 mil pessoas fazem login no Facebook e 6 milhões de visualizações no Facebook são feitas
  • Mais de 2 milhões de buscas são feitas no Google
  • 30 horas de vídeo são postadas no Youtube e 1,3 milhões de vídeos são assistidos
  • 639.800 GB dados de IP são transferidos no mundo

Incrível, não é mesmo? Um minuto é muito tempo na Internet!

Marcas que estão fora das redes sociais perdem oportunidades

Surpreender e se aproximar dos seus clientes. São estes alguns dos intuitos que fomentam a migração de marcas e empresas para o mundo virtual.

Mas não basta apenas ter cadastro no Twitter e uma FanPage no Facebook. O diferencial? A criatividade.

Uma recente ação da marca Levi’s é um ótimo exemplo de ação nas redes sociais. Através do Instagram, serviço de compartilhamento de fotos pelo celular, e do Twitter com a hashtag #iamlevis, os usuários foram convidados a fazer upload de suas fotos.

Os usuários que atendessem ao pedido da marca, fariam parte de uma lista de recrutamento. As pessoas escolhidas serão os novos protagonistas para os comerciais da Levi’s.

Bacana, não é mesmo?

Ainda assim não acredita que as redes sociais estão com essa força toda? Pois bem, o site Tech Tudo produziu um infográfico com alguns números e dados do Twitter e do Facebook, redes mais utilizadas no Brasil.

Dá uma olhada:

Movimente-se!

Com o objetivo de ajudar as pessoas a sair do sedentarismo, a Nike lançou no mês passado nos Estados Unidos a pulseira “Nike + FuelBand”, que controla todas as calorias gastas durante o dia. Basta colocar o acessório no braço e viver a sua rotina. A pulseira irá monitorar todas as suas atividades, como subir escadas, andar, lavar a roupa ou ir na academia.

O equipamento possui sensores que registram os movimentos, calculando as calorias queimadas e distância percorrida. Se o usuário ficar muito tempo parado o equipamento vibra, avisando que está na hora de se movimentar. Além disto, o aparelho analisa os movimentos durante o sono, medindo, desta forma, a sua qualidade. Ela também serve como despertador, vibrando suavemente no horário determinado.

O sistema de medidas é chamado Nike Fuel, pois quanto mais a pessoa se movimentar, mais “Fuel” ele irá acumular, como se fossem “moedas imaginárias”. Assim, o usuário poderá se esforçar para superar a marca do dia anterior, se movimentando mais e deixando para trás aquelas calorias indesejadas.

Outro aspecto interessante nesta pulseira, é a possibilidade de organização de metas e objetivos através de um aplicativo gratuito para iPhone, iPad ou pelo site nikeplus.com. Depois disto, é possível compartilhar a performance com os amigos no Twitter, Facebook ou Foursquare.

A pulseira é de borracha, à prova d’água, precisando ser recarregada apenas após dez dias de uso. Para isto, basta conectá-la a um computador pela entrada USB. O produto já está a venda nos Estados Unidos, entretanto ainda não chegou ao Brasil.

Vale a pena ficar de olho e investir na sua saúde!

2012, o ano das redes sociais

Ao que tudo indica, 2012 será um grande ano para as redes sociais. Já faz tempo que Facebook e Twitter, por exemplo, deixaram de ser apenas plataformas para relacionamento. Para as empresas, estar nas redes sociais significa estar inserido em um novo mundo de negócios, que possibilita novos olhares e possibilidades de vendas.

Neste contexto, pesquisas já comprovam que empresas que investem em redes sociais apresentam um aumento de receita e melhorias significativas nos seus resultados.

O que está fomentando este crescimento de usuários são as vendas de smartphones e tablets. Se hoje em dia a maioria das pessoas está 24 horas por dia conectada nas redes sociais, com o aumento de vendas destes produtos, crescerá cada vez mais o número de pessoas que procuram algo atrativo na Web.

Das redes sociais que mais estão crescendo no Brasil, destaca-se o Facebook, que passou a ser a rede social preferida dos brasileiros. Isto não é em vão. Esta rede cresceu 192% entre dezembro de 2010 a dezembro de 2011, superando o Orkut.

A Valliosa Comunicação também está inserida nas redes sociais. Conheça a nossa FanPage e o nosso Twitter.

Está esperando o que para entrar no mundo das redes sociais?

Informações: Imasters

Tempo que americanos gastam mensalmente no Facebook é equivalente a mais de 100 mil anos

O tempo parece absurdo, mas é isso mesmo! Pesquisa levantou dados sobre o tempo que os americanos passam no Facebook durante o mês e o resultado é impressionante. A soma do total de horas que eles ficam falando com amigos, lendo notícias, olhando a vida dos outros, procurando novidades, entre outros, é equivalente a mais de 100 mil anos!

O cálculo foi divulgado pelo site Statista para o VentureBeat, a partir de dados do Google Ad Planner, Compete e comScore. Como mostra o gráfico abaixo, o Facebook atrai 167 milhões de visitantes únicos por mês só nos Estados Unidos, sendo que cada um gasta, mensalmente, uma média de 6 horas e 33 minutos nesta rede social.

No infográfico ainda é possível conferir o tempo que os internautas usam em outras redes como Twitter, Tumblr e Pinterest.

Com informações de Super Interessante

Ruas dão espaço às redes sociais na era das revoluções digitais

A cada dia que passa, a mobilização popular a partir das redes sociais, como o facebook, aumenta. Não só em casos de comoção, como maus-tratos a animais, mas também em situações que abrangem a estrutura política de países e nações. A galera da Valliosa/J&J foi atrás para saber como, afinal, ocorrem essas mobilizações em massa. Durante a busca, encontramos essas dicas, publicadas na Revista Galileu, como um guia rápido de persuasão. Confira:

USE AS REDES SOCIAIS

Um post ou comentário na Internet é para sempre. Esse é o diferencial das mídias sociais em relação às formas de divulgação convencionais, como jornal ou TV. Quando você coloca algo no Twitter ou Facebook, é possível revisitar aquele conteúdo quantas vezes se quiser. E a mensagem tem chance de permanecer por muito mais tempo na consciência das pessoas.

MAS NÃO FIQUE PRESO A ELAS

Embora as redes sociais sejam um belo meio de divulgação, um movimento precisa ir para o mundo offline para ganhar corpo. Os protestos contra a violência da polícia inglesa ocorridos em Londres em agosto, por exemplo, começou na Internet, mas só teve repercussão quando tomou as ruas.

Manifestações que começaram pelo Facebook acabaram derrubando o presidente Hosni Mubarak, no Egito.

Manifestante destaca a importância das redes sociais para os protestos e mudanças que ocorreram no Egito.

ORGANIZE-SE

Planejamento é a palavra-chave para quem quer fazer sua causa vingar. Antes de lançar a sua, saiba quem é seu público-alvo. Quais os blogs você irá contatar para ajudá-lo na divulgação, por exemplo. Crie uma campanha, faça um vídeo explicativo e lance no YouTube. Não dá para saber de antemão se o movimento vai emplacar, mas é possível dirigir sua abordagem de acordo com o público que se quer atingir.

SEJA VERDADEIRO E EMOCIONE

Se você não acredita 100% naquilo que prega, dificilmente vai conseguir fazer com que outros acreditem. É preciso ter brilho nos olhos e caprichar no drama. Se a ideia é fazer um intercâmbio com financiamento coletivo, ressalte que nunca foi para o exterior e o quanto sempre quis isso. Se o objetivo é fazer com que as pessoas ajudem uma comunidade na África, mostre como é a (péssima) condição de vida delas ali.

ENCONTRE AS PESSOAS CERTAS

Não saia tentando convencer qualquer um. Economize energia. O melhor alvo é aquele capaz de fazer sua causa ser a mais propagada possível. Por isso articule aqueles seus amigos que conhecem todo mundo e para quem as pessoas sempre pedem dicas. Os formadores de opinião também são importantes não só pela quantidade, mas pelo tipo de pessoa que conhecem.

CONQUISTE UM DE CADA VEZ

Você não vai fazer com que todos os seus conhecidos se engajem no seu movimento logo de cara. Por isso, é importante ter em mente que cada novo membro é imprescindível para fazer a coisa prosseguir — como uma peça de dominó que vai derrubando as outras.

Fonte: Joel Bauer, autor do livro How to Persuade People Who Don’t Want to Be Persuaded (Como Persuardir Pessoas Que Não Querem Ser Persuadidas, sem edição no Brasil), Diego Reeberg, um dos criadores da rede de financiamento colaborativo Catarse e Marcelo Marquesini, coordenador da Escola de Ativismo, de São Paulo. Confira o post completo: http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,EMI291100-17773,00-FACA+SUA+REVOLUCAO+TRECHO.htmL

Fotos e imagens: reprodução

Empresa cria cinto capaz de atualizar suas redes sociais

Uma criação para quem quer deixar suas redes sociais sempre atualizadas. Essa é a proposta da empresa norte americana Deeplocal, utilizando a tecnologia NFC (Near-field Communication). A peça é bem interessante, já que se trata de um cinto capaz de postar mensagens e adicionar pessoas no Facebook e Twitter, e fazer check-in no Foursquare apenas com sua aproximação.

A forma de usar o Likebelt é bem peculiar. Se aproximando de chips programados em diversos locais como bares, lojas, pontos turísticos e empresas, o cinto capta a informação e compartilha nas suas redes.

Porém, para ele fazer isso, é necessário um movimento como uma dancinha, impulsionando a pélvis para frente. Seria no mínimo divertido ver as pessoas utilizando o cinto por aí, mas de acordo com a empresa criadora, ele não deve ser vendido como produto final. Provavelmente a ideia será aproveitada para criar um dispositivo de uso mais discreto!

VEJA O VÍDEO

LikeBelt from deeplocal on Vimeo.

Com informações de Olhar Digital

Foto e vídeo: reprodução

J&J Entrevista: Ricardo Michaelsen, diretor-presidente da Fenac

Ricardo Michaelsen nasceu em Novo Hamburgo, mas é cidadão do mundo. Formado em Contabilidade e com MBA em Administração pela FGV(Fundação Getulio Vargas), possui uma experiência de mais de 30 anos no setor de couros e calçados. Tem atuação em entidades como ABQTIC- Associação Brasileira de químicos e técnicos da indústria do Couro; AICSUL- Associação das indústrias de curtumes do Rio Grande do Sul; CICB- Centro das indústrias de couros do Brasil; IBTeC- Instituto Brasileiro de tecnologia do Couro, Calçados e acessórios. Atualmente, é o presidente da Fenac S/A Feiras e empreendimentos Turísticos, e entre outros assuntos, fala sobre a moda gaúcha e o mercado de eventos.

J&J O Sr consegue perceber uma diferenciação na moda do Rio Grande do Sul para o resto do país? Se sim, quais seriam essas peculiaridades?

Ricardo Michaelsen – Tenho viajado muito em função dos eventos promovidos pela Fenac. E nestas incursões, tanto pelos principais estados brasileiros quanto em alguns países da Europa, percebo uma multiplicação cada vez maior de estilos, muito focados no respeito às culturas de cada povo. Aqui no Rio Grande do Sul, o que notamos de peculiar com relação a outros locais, é uma utilização cada vez maior dos artigos em couro, muito além do sapato. São cintos, bolsas, jaquetas e outros produtos complementares que estão em evidência crescente, valorizando este item e desmistificando um pouco a questão do seu custo, até então tido como inacessível por boa parte da população.

J&J- Como o Sr vê a moda regional daqui alguns anos?

Ricardo Michaelsen Cada vez mais fortalecida, pois o gaúcho adora marcar presença em todas as áreas. Na política, no futebol e em outras áreas, todos têm sua preferência e fazem questão de ressaltá-la. Com a moda não é diferente. Assim que compreendida e valorizada, a moda regional passa a ser externada com orgulho e, portanto, antevejo aí uma ótima oportunidade de negócios para quem trabalha com este nicho. E, se for possível se antecipar as tendências, o planejamento empresarial certamente será marcado pelo sucesso absoluto.

J&J O quão importante o Sr. considera as feiras da região, do país e do mundo?

Ricardo Michaelsen São fundamentais tanto para quem produz quanto para quem consome. As feiras reúnem em um mesmo local os fabricantes, estilistas, empresários, imprensa e outros elementos comuns ao fortalecimento de um determinado setor. Não consigo mais conceber o crescimento de uma área, especialmente no que diz respeito à moda, sem a realização de eventos específicos e também multissetoriais, onde a moda faça uma espécie de incursão, apresentando as diversas nuances de sua utilização.

J&J Como o Sr enxerga a adoção de inúmeras empresas e pessoas adotarem como ferramenta de divulgação algumas mídias sociais, como o Twitter, já que o Sr tem e consegue o manter atualizado e interessante?

Ricardo Michaelsen Considero fundamental as mídias sociais. Temos que acompanhar a evolução e confesso que tenho me informado muito a partir do Twitter. E em respeito aos meus seguidores, também faço questão de manter o meu próprio Twitter atualizado. Não é um vício, mas é uma espécie de compromisso.

J&J- Levando em conta a experiência que o Sr possui, em sua opinião, quais deveriam ser as metas principais das empresas para se manterem e acompanharem o mercado de moda?

Ricardo Michaelsen – Participação em feiras é fundamental, assim como uma leitura dos principais veículos de comunicação direcionados a esta área. Viagens também são fundamentais, e contribuem para o crescimento empresarial.

J&J – Se pudesse fazer uma cronologia a respeito da história da moda de Novo Hamburgo em algumas linhas, já que o Sr faz parte dessa biografia da cidade, como seria contada essa narrativa?

Ricardo Michaelsen – Nosso contato com a moda começou muito cedo, pois trabalhei em fábrica de calçados na adolescência e já inventava alguns modelos exclusivos para a minha mãe. Em seguida fui trabalhar na Casa Floriano que era Top em moda da cidade. Neste período, fui manequim e visitei a primeira feira, que na época era a melhor FENIT (Salão Internacional da Indústria Têxtil), em São Paulo. Nós, hamburguenses, devido às fabricas de calçados e viagens constantes, respiramos moda de muitas maneiras, isso já esta intrínseco na maioria dos profissionais.


Por Marina Cezar e Priscila Pagnussat

Vogue Itália em clima de twitter

A edição de dezembro da Vogue Itália resolveu embarcar na onda da mídia social que mais cresceu no último ano. Tendo como pano de fundo o twitter, a Vogue chamou Steven Meisel e uma constelação de super top models para o editorial Meisel Pic: resort 2010.

As top celebs?  Naomi Campbel, Linda Evangelista, Agyness Deyn, Gisele Bündchen, Natalia Vodianova,  Christy Turlington e por aí vai.

Nas fotos, as modelos aparecem em poses super descontraídas, algumas delas, fotografadas por elas mesmas usando câmeras digitais e celulares. Confere só o resultado:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Por Douglas Oberherr

%d blogueiros gostam disto: